Qual escolher: bateria de lítio ou chumbo numa quase scooter


  • A Ecopilhas recolhe nos pilhões baterias de lítio que lá cabem e a Nissan na compra de uma nova bateria para o Leaf exige de volta a bateria usada para ser reciclada, o que fazem de verdade porque são eles os fabricantes das células.

    As baterias de chumbo também duram tão poucos ciclos que se não fossem recicladas constituiriam um problema enorme.

    O artigo parece-me ao estilo da malta do petróleo: os poderes instalados a defender o que fabricam para não terem que mudar o negócio do costume.
    No entanto mesmo lá falam que o chumbo é a alternativa viável para casos onde o peso e e densidade energética não é problema, como em aplicações estacionárias e não em veículos elétricos.

    Outro aspeto a ter conta é a viabilidade do investimento: uma bateria de lítio custa umas 5 vezes mais que uma de chumbo mas suporta no mínimo 10 vezes mais ciclos de carga/descarga que as de chumbo.
    Então se forem ciclos profundos a coisa descamba...
    E se temos um veículo em que nunca fazemos ciclos profundos quer dizer que pagamos capacidade a mais que nunca vai ser utilizada.

    Infelizmente o típico cliente das quase scooters (julgo ser este o alvo da discussão) é pouco informado, pouco curioso e não quer sequer atingir um nível de conhecimento e espírito crítico que o faça planear corretamente a longo prazo: apenas vê uns palmos à frente o custo de aquisição e não lhe passa pela cabeça o custo total de utilização a longo prazo...
    Quando largam o dinheiro aos bocadinhos em vez de um valor total superior à cabeça nem se apercebem...
    Então quem vende tem mesmo que vender material "inferior" porque senão esse tipo de cliente vai à concorrência que o faz.
    Compreendo perfeitamente do ponto de vista de manter um negócio à tona, mas não me convencem da superioridade do chumbo nem em termos tecnológicos nem em termos económicos.

    O problema das baterias de lítio chinesas é que os fabricantes só se interessam em vender mas não em montar um sistema de recolha, reutilização e reciclagem como fizeram os fabricantes de automóveis eléctricos.
    Editado pela última vez por RJSC em 24 dez 2014, 04:30, num total de 1 vez.
    RJSC
     
    Mensagens: 228
    Registado: 19 mai 2014, 18:11
    Localização: Aveiro


  • Sr. Artur, então não vê que este link está a fazer comparação com as baterias de Chumbo e com as de Lítio para arranque de motores a combustão?

    Também refere que as baterias de Chumbo já estão muito desenvolvidas para poderem ser usadas em sistemas fixos, onde habitualmente eram as de Níquel que tinham maior aceitação, onde o peso e o volume não têm relevância.

    Em relação à reciclagem, isso tem muito que se lhe diga...

    O facto de as baterias de chumbo terem um índice de reciclagem de 98% não significa que elas não causam poluição e não significa que elas não se degradam muito rápido. Apenas significa que quem as tem, por saber que lhes oferecem 0,60€/Kg, aproveitam todas as baterias possíveis para ir trocar por uns "cobres".

    Na verdade, as baterias que têm metais nobres são as de Lítio, com Cobre e Aluminio em sua grande parte.
    Por os centros de recola, ditos "Sucatas", ainda não terem numero suficiente de baterias de Lítio para que justifique sua reciclagem (por estas estarem há pouco tempo no mercado, e por terem uma duração gigante), ainda não nos oferecem qualquer valor por estas baterias, sendo então desprezadas.

    Eu, que quase só trabalho com viaturas movidas (e muito bem movidas) com baterias de Lítio, já tenho guardadas comigo perto de 40Kg de baterias de Lítio mortas (células que estiveram em motas com muito tempo de paradas sem qualquer carregamento para as manter vivas ou cujo os maus BMS lhe fizeram a folha). Por cá ficarão até que lhes seja dado o devido valor e que haja centros de reciclagem para as mesmas (vão servindo como objectos para o trabalho)

    Dos poucos trabalhos que tenho com viaturas que tinham chumbo (pois já foram todas convertidas a Lítio) já consegui juntar um total superior a 400kg de baterias de Chumbo, e que fiquei todo contente por as ir levar ao centro de recolha e receber bom dinheiro por isso (quando eu faço toda a reciclagem de todos os outros materiais de forma completamente voluntária, sem receber nada por isso).

    Se eu tinha muito a ganhar se tentasse convencer as pessoas que as baterias de chumbo seriam uma boa escolha?
    Sim, talvez tivesse, (o trabalho assim nunca teria fim, pois estaria a colocar um material de curta duração e saberia que o cliente voltaria em breve para mais uma substituição do Chumbo) mas não estaria a ser honesto para comigo mesmo, muito menos para os que nos rodeiam e todo o planeta.

    Prefiro catar ervas selváticas /espontâneas, semear, sachar, podar e acarinhar tudo o que planto ou semeio, para poder manter-me vivo (não seria a primeira vez, pois já o fiz por 2 anos) do que cooperar com algo insustentavel só porque me traz benefícios monetários.

    Adoro ver bicicletas bem estimadas, com já mais de 20, 30 ou 40 anos, e ainda de boa saúde (claro que não falo das eléctricas, pois não existem há tanto tempo).
    Trabalho para que cada pessoa apure este sentido, o de estimar o que tem, para que possa manter de boa saúde as coisas que compra, podendo estas passar de geração em geração, se possível.

    Um trabalho bem feito é trabalho para a vida! (um mal feito é para desfazer e voltar a fazer, mas bem)

    (Desculpem repetir alguma coisa que o RJSC disse, mas já tinha escrito a mensagem e assim envio conforme estava...)
    Avatar do Utilizador
    Jorge Rocha
     
    Mensagens: 410
    Registado: 18 mai 2014, 23:56


  • Jorge Rocha Escreveu:Sr. Artur, então não vê que este link está a fazer comparação com as baterias de Chumbo e com as de Lítio para arranque de motores a combustão?

    Também refere que as baterias de Chumbo já estão muito desenvolvidas para poderem ser usadas em sistemas fixos, onde habitualmente eram as de Níquel que tinham maior aceitação, onde o peso e o volume não têm relevância.


    Se foram estas as tuas únicas conclusões após a leitura do artigo está parcialmente explicada a tua visão limitada sobre toda esta problemática.

    Aqui ficam mais um par de links interessantes para os demais:

    The Lithium Battery Recycling Challenge

    Why Advanced Lithium Ion Batteries Won't Be Recycled

    O valor do metal p/ tonelada obtido da reciclagem das baterias de chumbo é 3,5 vezes superior em relação ao caso das baterias de lítio LiFePO4. Isto não é económicamente viável para esta química. É por esta razão e não por outra qualquer que provavelmente não veremos unidades de reciclagem deste tipo de baterias salvo por imposição governamental para cumprimento de normas ambientais. Isto não é tarefa para sucateiros mas sim para unidades industriais bem estruturadas. O consumo mundial de baterias LiFePO4 ainda é marginal. Quando este mesmo consumo entrar no radar e forem impostas medidas adequadas de reciclagem o preço do produto vai disparar.

    Jorge Rocha Escreveu:Se eu tinha muito a ganhar se tentasse convencer as pessoas que as baterias de chumbo seriam uma boa escolha?
    Sim, talvez tivesse, (o trabalho assim nunca teria fim, pois estaria a colocar um material de curta duração e saberia que o cliente voltaria em breve para mais uma substituição do Chumbo) mas não estaria a ser honesto para comigo mesmo, muito menos para os que nos rodeiam e todo o planeta.


    Honestidade seria reconheceres publicamente que tanto a Gingabike como a Interflexo divulgam, investem e comercializam soluções de mobilidade com baterias de Lítio nomeadamente com a química LiFePO4 com garantias alargadas até aqui inéditas. A tua tentativa de fazer colar empresas a tipos de químicas de baterias é ridicula. Se existem empresas que investiram em vários tipos de químicas e dão garantias alargadas sobre as mesmas o consumidor não sai prejudicado. Nunca estruturei técnicamente qualquer solução de chumbo para um cliente final com uma garantia inferior a 2 anos.

    Esta tua atitude de fanatismo técnico afasta novos membros e em nada beneficia a mobilidade eléctrica em Portugal. Isto é um pequeno nicho que importa fazer crescer e em que a colaboração de todos é fundamental.

    Bom Natal a todos.
    Imagem
    Avatar do Utilizador
    MVS
     
    Mensagens: 677
    Registado: 16 mai 2014, 07:15
    Localização: Porto


  • MVS,
    Vir para aqui colocar link's e depois afirmar apenas o que interessa, não faz parte do meu carácter.
    A minha visão pode ser "muito limitada", conforme também afirmaste, mas pelo menos vejo as coisas sem interesses comerciais.
    A tua tentativa de fazer colar empresas a tipos de químicas de baterias é ridicula
    Não sei a que te referes, pois eu não citei nomes de empresas, estava a referir todos os fabricante em geral incluindo os da grande China. E te garanto que a maior parte das viaturas que andam nas nossas estradas não são das empresas que referiste, portanto o meu desabafo seria para todos os que comercializam viaturas com baterias de chumbo (as do ditos 500 a 600€, que agora já podem ultrapassar estes valores) e não oferecem autonomias e garantias razoáveis, dignas de uma viatura eléctrica desse valor (que já não é tão pouco como isso).

    Esta tua atitude de fanatismo técnico afasta novos membros e em nada beneficia a mobilidade eléctrica em Portugal
    Não tenho qualquer fanatismo técnico, muito pelo contrário. Aproveito todos os BMS que estão a funcionar bem, e quando não tenho para colocar, depois de já ter pedido orçamentos, cá dentro do nosso país, mas sem resultados (por nunca me entregarem o produto ou nem responderem aos orçamentos pedidos), faço o trabalho como deve de ser feito para uma utilização sem o BMS, e olha que ninguém ainda se queixou por lhe ter morrido alguma célula (entre elas, algumas viaturas com mais de 50.000Km rodados sem BMS).
    Como vez, talvez tu é que estejas a ter atitudes de fanatismo técnico, quando não admites outras soluções que não as tuas.


    Pegando no teu primeiro link e lendo-o, mesmo com o tradutor directo do servidor Chrome, entendo muitas coisas. Tu mais uma vez só colocas o que te dá jeito! Fica bem nítido que pretendes despromover a minha imagem, não sei o que ganhas com isto???

    Tenho canalizado alguns dos meus amigos para recorrerem aos teus serviços, por achar que serão bem entregues e que são da tua zona, trazendo vantagens para todos. Tenho-me disponibilizado para te ajudar no que posso, e tenho recebido com a mesma moeda, e te estou muito grato. Mas não sei porque insistes em reprovar o que digo, colocando palavras na minha escrita, coisas que eu nem pensei por vezes... tudo num lugar publico! :cry: O que é que isso enriquece o forum?







    Fica o que o li de um dos teus link, traduzido pelo Chrome, para quem quiser receber a informação, e entende-la como quiser:
    "O aumento dos preços do petróleo, a demanda por veículos urbanos, megacidades e foco em transporte sustentável têm impulsionou uma tendência substancial para eletrificação automotivo, tais como veículos híbridos e elétricos (EVs). As estimativas sugerem que, em 2020, EVs é provável que representam mais de 7% do mercado de transporte global. No entanto, subsistem preocupações em relação ao fornecimento de elementos críticos necessários para baterias desses veículos; há uma ameaça em relação à disponibilidade de lítio necessária para a produção de baterias. Esta ameaça mudou o foco para garantir o fornecimento contínuo de materiais necessários para a revolução verde através da reutilização e reciclagem de pilhas.Com mais de 70% de EVs que provavelmente será lançado em 2015 com lítio-ion (Li-ion) com base química da bateria, a reciclagem de Li-ion se tornou um tema crucial para a indústria automotiva.
    Oferta e desafios Lithium
    Há um número de desafios que são susceptíveis de impacto de fornecimento de lítio no futuro. Embora não haja quantidade suficiente de recursos de lítio disponível globalmente para atender à demanda, quase 70% dos depósitos de lítio globais estão concentradas na América do Sul ABC (Argentina, Bolívia e Chile) região. Isso representa um risco inerente devido à acessibilidade da matéria-prima que está disponível apenas em uma geografia específica. Unrest ou instabilidade dos governos nessas regiões podem afetar significativamente a oferta e ter impacto sobre o preço da bateria e, por sua vez, o custo do veículo.
    Lithium também é consumido por uma série de outras aplicações ou sectores como a construção, produtos farmacêuticos, cerâmica e vidro e até agora o consumo pela indústria automobilística tem sido apenas uma pequena fração. Actualmente, as baterias são responsáveis por apenas cerca de um quarto do consumo de lítio atual, que deve chegar a cerca de 40% até 2020. Lithium constitui apenas uma pequena parte do custo, entre outras matérias-primas necessárias para a fabricação de baterias. No entanto, com mais de um milhão EVs esperados até 2015, haverá uma pressão significativa sobre lítio fornecedores para atender a demanda.
    Para garantir os recursos de lítio, inter-governamental, bem como parcerias OEM-governamentais estão sendo estabelecidas. Os fabricantes de veículos e os governos nacionais estão a tratar de lítio como fonte de energia no futuro e já começaram a forjar alianças para salvaguardar suas necessidades.
    Toyota e Magna International - Mitsubishi forjaram parcerias com empresas de exploração de lítio e têm investido grandes somas para desenvolver depósitos de lítio na Argentina para salvaguardar e proteger os recursos de lítio para atender suas necessidades. Japão forjou uma parceria com o governo boliviano, que liga o antigo para oferecer ajuda econômica global em troca do fornecimento de lítio e outros metais de terras raras a partir do último.
    Parcerias como estas permitem uma forte posição na cadeia de abastecimento, aumentar as partes interessadas e reduzir a concorrência com foco em controlar as flutuações de preços em caso de aumento significativo na demanda. Preços de lítio, quase que triplicou nos últimos 10 anos, como ilustrado na Figura 1. Os acordos são negociados entre o vendedor eo usuário eo preço varia de acordo com o uso em indústria / setores. Os preços atuais são cerca de US $ 5.500 a US $ 6.000 por tonelada de carbonato de lítio de acordo com as aplicações.

    Figura 1: preços de lítio têm flutuado descontroladamente ao longo dos anos, mas houve um aumento acentuado na última década
    Fornecimento de lítio e seu preço no futuro é esperado para ser impactado por uma série de fatores, como a demanda adicional de produtos eletrônicos de consumo, relações geopolíticas, o impacto ambiental da mineração, novos modos de soluções de mobilidade ganhando grande aceitação como dois elétrico rodas.
    Necessidade de reciclagem
    OEMs estão olhando para superar a dependência de lítio através da reutilização de baterias de lítio em outras aplicações (segunda vida) e através da reciclagem das baterias depois de terem completado o seu ciclo de vida. No entanto, não faz nenhum sentido econômico para reciclar as pilhas. As pilhas contêm apenas uma pequena fracção de carbonato de lítio como uma percentagem de peso e são baratas em comparação com cobalto ou níquel. O custo médio de lítio associada com a produção de bateria de lítio é inferior a 3% do custo de produção. O valor intrínseco para o negócio de reciclagem de Li-ion atualmente vem dos metais valiosos, como cobalto e níquel, que são mais elevados preços do lítio. Devido à menor demanda de preços do lítio e baixos, quase nenhum dos lítio utilizado em baterias de consumo é totalmente reciclado.

    Enquanto Lithion é 100% reciclável, atualmente a economia não se somam para reciclá-lo
    Lítio reciclado é tanto como cinco vezes o custo de lítio produzido a partir do processo menos dispendioso baseado salmoura. Não é competitiva para empresas de reciclagem para extrair lítio de escórias, ou competitivo para os OEMs para comprar com preços mais elevados a partir de empresas de reciclagem. Apesar de lítio é 100% reciclável, relatórios de lítio atualmente, reciclado para a escória e atualmente é utilizada para fins não-automotivos, como a construção, ou vendidos nos mercados-aberto. No entanto, com o crescente número de EVs que entram no mercado no futuro e com uma crise de oferta significativa, a reciclagem é esperado para ser um fator importante para a consideração da oferta de material eficiente na produção de pilhas.
    Reciclagem em circuito fechado, onde os materiais reciclados são vendidos de volta para OEMs, é susceptível de ajudar contra a potencial flutuação de preços de metais ou compostos. Reciclagem de baterias EV é esperado para jogar uma parte significativa da cadeia de valor em 2016, quando grandes quantidades de baterias EV virá através do fluxo de resíduos para reciclagem.
    Projetos estão em andamento na Europa, Estados Unidos e Japão para desenvolver tecnologias de reciclagem eficazes e viáveis com uma análise completa do ciclo de vida de reciclagem. Parcerias em início de carreira e programas de pesquisa, tais como LithoRec e Libri com partes interessadas de toda a cadeia de valor demonstrar a necessidade imediata para desenvolver soluções abrangentes de reciclagem.
    Desafios na reciclagem
    O mercado de reciclagem de baterias é em grande parte impulsionado preço como a tecnologia não é um factor de diferenciação crítica. Todos os participantes-chave implementar o mesmo nível de tecnologia em suas ofertas de produtos. Portanto, a chave torna-se fator de diferenciação de preços, que em um ambiente competitivo reduz a rentabilidade para as empresas de reciclagem de baterias.
    Processos especializados e unidades de reciclagem de pequena escala dedicados mais estreitas aos fabricantes de veículos são susceptíveis de ser a tendência no futuro. O principal desafio prejudicando a indústria é a natureza de longo prazo de investimentos financeiros exigidos pelos participantes do mercado para desenvolver serviços especializados de eliminação de resíduos. Como o mercado ainda é pouco explorado, os impactos específicos e rentabilidade global destes investimentos são desconhecidos e, assim, criar ambiguidade e incerteza sobre como fazer tais compromissos.
    Com a reciclagem de lítio em sua infância, não há atualmente nenhuma principal infra-estrutura de reciclagem do mundo que trata baterias Li-ion apenas automotivos. Algumas plantas-piloto, como a planta Hoboken da Umicore na Bélgica que estão em uma fase de demonstração existe. A falta de padronização na químicas de bateria e evolução do panorama no que diz respeito a elementos diferentes em pesquisas para a produção de baterias de lítio que não fez a avaliação do valor reciclado dos componentes de incerteza para os recicladores.
    Químicas de bateria futuros de pesquisa e desenvolvimento, tais como fosfato ou produtos químicos à base de manganês, têm pouco ou nenhum metais valiosos como cobalto ou níquel. Assim, há um valor negativo para a reciclagem de líquido como o esforço para reciclar apenas para estas químicas de lítio seria muito elevado. Assim, a reciclagem, a longo prazo seria principalmente para benefícios ecológicos e de adesão às leis ambientais.
    Para o futuro, a reciclagem de baterias Li-ion é esperado para ser uma das principais fontes de abastecimento de lítio. Ao contrário do petróleo, onde as flutuações de preços voláteis levará a aumentar em apenas as despesas de funcionamento, possíveis flutuações de preços do lítio teria impacto sobre o preço total de compra do carro.
    Assim, a reciclagem é esperado seja um dos meios para se proteger contra as flutuações de preços incertos e potenciais decorrentes devido barreiras a geo-políticos ou outros.
    Aswin Kumar é o analista do setor de da Frost & Sullivan divisão automotiva e transporte. email:Katja.Feick@frost.com

    Leia mais Processos Industriais reciclar Metals Críticos de Baterias em Desenvolvimento

    Um projeto para o desenvolvimento de novos processos industriais para a reciclagem de crítica Cobalt, incluindo metais, Lanthanides, lítio e níquel está em andamento na Espanha. A bateria recarregável Reciclagem DesafioCarl Smith, CEO e presidente da Call2Recycle explica alguns dos fatores de mercado que impactam a recolha e reciclagem de pilhas recarregáveis."
    Avatar do Utilizador
    Jorge Rocha
     
    Mensagens: 410
    Registado: 18 mai 2014, 23:56


  • Jorge,

    O artigo "traduzido" confirma o que escrevi. A reciclagem de baterias de lítio é um sarilho devido à diversidade de químicas e ao baixo valor residual de alguns tipos de baterias. Apenas as baterias de lítio com materiais como o cobalto justificam neste momento financeiramente a sua reciclagem não as de LiFePO4. Pelos vistos existem muitos tons de "Green"...

    Alguém falou aqui de BMSs de lítio? Ou o que fazes ou deixas de fazer com BMSs? Ou se usas ou deixas de usar? Ou para quantas células os pretendes usar? Ou para que finalidade os pretendes usar? Ou criticou algum dos teus trabalhos ou soluções? O que é que isso tem a ver com esta discussão? Alguma vez te incomodei com isso aqui ou noutro espaço qualquer? Alguma vez trouxe para aqui algo de pessoal?

    Já leste o tema deste tópico?

    Os teus "desabafos" como lhes chamas não fazem propositadamente as devidas ressalvas a quem tenta fazer um trabalho sério e responsável nesta área e de facto essas empresas vêm aqui a sua imagem despromovida sim mas por ti que quando te faltam argumentos atiras estas discussões para o plano pessoal. O "fanatismo" era isso... também não percebeste? Não faz mal.

    Somos tão poucos nesta área técnica em Portugal que é lamentável não ser possível levar a cabo uma discussão saudável sobre estes temas importantes, sem traumas.

    Não sou obrigado a estar de acordo contigo. Mas tenho todo o direito de estar aqui, ter as minhas próprias opiniões, partilhar as minhas experiências e participar livremente sem ser constantemente "achincalhado" nas tuas entrelinhas como se fosses o último inocente que se preocupa com o meio ambiente ou os seus "clientes".

    O que vale é que não fazes isto apenas comigo. Estou a lembrar-me de um tópico no FNE sobre o uso de baterias de lítio em baterias de arranque em motores de CI.

    Quantas vezes já te disse que discussões técnicas nada têm de pessoal. Separa as coisas. Se não tens capacidade para as ter e descambas porque insistes desta forma? Ou vais-te aborrecer agora comigo se é que já não estás. MPs de Calimero nem as abro para ler.

    Não tenho tempo nem paciência para estes arrufos. Isto para mim é telenovela ao pior estilo mexicano e tem ZERO de interesse para esta comunidade. Em suma mais um péssimo serviço prestado á mobilidade eléctrica em Portugal.

    São 6:00 da manhã faço anos hoje, estou a trabalhar e começo o dia aqui da pior forma possível.
    Imagem
    Avatar do Utilizador
    MVS
     
    Mensagens: 677
    Registado: 16 mai 2014, 07:15
    Localização: Porto


  • Feliz Aniversário dentro do possível...
    RJSC
     
    Mensagens: 228
    Registado: 19 mai 2014, 18:11
    Localização: Aveiro


  • Parabéns ;-)
    Vectrix Vx Li+ - 60 Ah
    Nissan Leaf
    Toyota Prius Plug-in
    Microprodutor

    www.eletricar.pt
    jasmim
     
    Mensagens: 264
    Registado: 18 mai 2014, 21:53
    Localização: Santa Maria da Feira


  • Procurei cartões de aniversário e só encontrei com flores.
    Preferi usar uma imagem que é um dos seu louvores...
    ... Prologar a vida dos acumuladores.
    Anexos
    aniversario.jpg
    aniversario.jpg (85.98 KiB) Visualizado 3280 vezes
    afreitas
     
    Mensagens: 724
    Registado: 10 mai 2014, 02:56


  • Obrigado a todos.

    Espirituoso como sempre Artur.
    Imagem
    Avatar do Utilizador
    MVS
     
    Mensagens: 677
    Registado: 16 mai 2014, 07:15
    Localização: Porto


  • Espero que todos hajam tido um Excelente Natal.
    Espero que todos tenhamos Excelente princípio, meio e fim 2015.

    Este tópico tem um título que descambou desde o início e por isso há que colocar ordem na caserna ou camarata.
    Disse caserna ou camarata, propositadamente e sem sentido pejorativo. Muito pelo contrário. Caserna e camarata, são os locais onde os jovens militares criam os laços mais fortes de união e CAMARADAGEM, aliás CAMARADAGEM deriva exactamente do termo CAMARATA.

    O Título Qual escolher: Bateria de lítio ou chumbo numa quase scooter, passou para - Novo modelo quase scooter VORTEX SBR, depois para custos Lítio vs Chumbo e finalmente para as questões ambientais.

    Este fórum é um excelente meio e local para discutirmos todas as questões pois só discutindo e lendo o que outros escrevem podemos aprender.
    Discutir? sim, defender os seus pontos de vista? sim, argumentar até à exaustão sobre o que acreditamos? Sim.
    Desvirtuar o tema, sair do tema, ir para temas colaterais mas que nunca foram referidos e usar linguagem pontiaguda para defender a dama, Não, não e não.
    É exactamente nas questões ambientais que o Jorge Rocha se tem manifestado contra a solução acumuladores de chumbo e é nessa mesma área que eu próprio tenho apresentado a minha opinião, dizendo que a solução baterias de chumbo não é tão nefasta para o ambiente como querem fazer crer.

    Jorginho, pense um pouco no que sobre esta matéria tem sido dito:
    - Nunca alguém aqui disse que o chumbo é melhor que o lítio.
    - Nunca alguém aqui se referiu ou promoveu o chumbo contra o lítio.
    - Nunca alguém aqui se referiu ou promoveu sistemas de manutenção de baterias (SIGAL; BMS; IBMS, etc).

    O que tem sido referido e defendido (e eu continuo a defender) é que as baterias de chumbo não são nefastas para o ambiente porque os ganhos com a reciclagem são de tal forma expressivos que os números apontam para aproveitamentos na ordem dos 98% e que podem ser boa solução para quase scooters.
    Nós que temos formação e sensibilidade para a defesa do ambiente, muito gostaríamos que todos os produtos tivessem este índice de reciclagem.
    Ao contrário, a solução acumuladores de lítio, sendo excelentes quanto a longevidade, fiabilidade, pode não ser boa para as quase scooters porque alguém ou quase ninguém quererá uma Vortex RS/TWA/SBR ou NSR para a usar 100.000 km. Os produtos valem pelo seu todo e não pela parte.
    Por outro lado, neste preciso momento, as baterias de lítio são MUITO mais nefastas para o ambiente do que as baterias de Chumbo e é desta questão que se está a tratar.
    É rentável reciclar baterias de lítio? – Não. Se não é rentável para onde irão? – Só Deus sabe.
    Eu já tive a curiosidade de esquartejar uma bateria de lítio. Para além de ter corrido o risco de ficar cego devido à grande possibilidade de explosão, de 20 metros duma fita tipo celofane ou prata de proteger cigarros e dum cheiro verdadeiramente intoxicante, nada mais vi. Coloquei os restos mortais num pilhão, qual foi o destino? – Só Deus sabe. Eu não sei, mas sei que nenhuma empresa os aproveitou para reciclar, exactamente porque nada tinha para aproveitar.

    Jorginho:
    Pró bem ou pró mal a sociedade optou por viver mais, melhor e mais confortável.
    Não vou discutir se viver indígena é melhor ou pior do que viver no conforto da sociedade moderna. Eu prefiro o conforto, prefiro ter um par de sapatos por ano do que ter um par para toda a vida, nenhuma indústria faria sentido sem consumo ou massa crítica para existir. Prefiro ter uma quase scooter nova de três em três anos, do que ter uma para doze anos só porque as baterias duram esse tempo ou mais. Correria o risco de ficar com scooter velha e incapaz de circular e com baterias boas sem poder usar. Prefiro ter uma scooter boa e baterias más do que o contrário:
    Considero que este tema se esgota aqui e acaba com o ano 2014.
    Considero que TODOS aprendemos lendo os vários capítulos deste tópico.
    Quem quer saber tem de viajar ou ler.
    afreitas
     
    Mensagens: 724
    Registado: 10 mai 2014, 02:56

AnteriorPróximo


Voltar para Baterias




Informação
  • Quem está ligado:
  • Utilizador a ver este Fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante
cron